2022 World Final

17-21 October, Tenerife (Spain)

Santo da Serra, Machico

Francisco Octávio Fernandes e Víctor Pontes emparceiraram pela primeira vez em competições por equipas e viveram uma estreia auspiciosa, ao conquistarem a segunda etapa de qualificação do 23.º World Corporate Golf Challenge (WCGC) Portugal de 2022, no passado dia 30 de abril, no Clube de Golf do Santo da Serra.

Foi em 2020 que o WCGC regressou à Região Autónoma da Madeira, após um hiato de muitos anos, e nessa altura foi a penúltima etapa da fase de apuramento para a Final Nacional. Em 2021 teve honras de abertura do calendário no nosso país. Este ano foi a segunda competição da época, depois da realizada em fevereiro, no Amendoeira Golf Resort, no Algarve.

Pedro Araújo, Equipa Simetrifloor LX, Vencedora 2ºNET

Houve, pois, uma preocupação das duas principais regiões de turismo do país estarem presentes no Campeonato do Mundo de Empresas e não é por acaso que Sara Marote – com o cargo de Diretora Executiva da Associação de Promoção da Madeira –, declarou que «a APM vê nesta parceria uma oportunidade de divulgar a Madeira e o Porto Santo como destinos de Golfe de excelência. Uma vez que este evento é um dos maiores a nível corporate de golfe, é também do interesse do destino Madeira impactar este segmento e atrair cada vez mais este tipo de eventos».

Os jogadores têm aderido em massa, mesmo quando o país estava seriamente afetado pela pandemia. Em 2020 foram 34 equipas, em 2021 30 e em 2022 estabeleceu-se um novo recorde desde o regresso à Madeira, com 38 equipas, num total de 76 jogadores.

Driving Range Santo da Serra

Este ano o WCGC Portugal regressou aos 9 buracos do Machico e aos 9 do Desertas, ou seja, ao traçado tradicional do Madeira Islands Open do European Tour e, tal como no ano passado, as condições meteorológicas foram as melhores possíveis.

«O tempo esteve magnífico, melhor seria difícil. O campo estava excelente e a organização foi fantástica, desde a ação do clube, à dos promotores, passando pelos patrocinadores», disse Francisco Octávio Fernandes, o capitão da equipa campeã, que contribuiu com 40 pontos, enquanto o seu parceiro, Víctor Pontes, somou 36.

Como escreveu Nélio Gomes, no Diário de Notícias da Madeira, «os participantes desfrutaram de uma jornada de golfe fantástica, em excelente convívio, à procura de marcar o seu lugar na Final Nacional, no Royal Obidos, e aí tentarem o apuramento para a Final Mundial que realizar-se-á em Tenerife, nas ilhas Canárias».

«Os vencedores não tiveram tarefa fácil, acabando por triunfar apenas por 1 ponto a mais, relativamente aos segundos classificados, Afonso Bento e Pedro Araújo, da equipa Simetrifloor LX», acrescentou o jornalista do media que é parceiro do WCGC.

Equipa vencedora 1º NET – SICAPREP MADEIRA, com Ana Massapina e Estela Sargento da Golf Concept

«É a primeira vez que somos apurados para irmos jogar no Continente. Não conheço o campo de Royal Óbidos, dizem-me que é longo… veremos. Vamos com grande ambição e eu não gosto de perder nem a feijões», assegurou o líder da equipa, referindo-se à Final Nacional, a realizar-se no dia 16 de julho, no palco do Open de Portugal do Challenge Tour.

O certo é que as hipóteses de termos uma equipa madeirense a vencer a Final Nacional aumenta de ano para ano. Em 2020 apuraram-se apenas os vencedores net e gross do Santo da Serra. Em 2021 esse número duplicou para quatro empresas na Final Nacional. Em 2022 voltou a duplicar para oito equipas madeirenses em Royal Óbidos, quatro via classificação net e outras quatro via tabela gross.

As quatro primeiras empresas da classificação net foram as seguintes:

1.ª Sicaprep Madeira com 76 pontos

2.ª Simetrifloor LX, 75 pontos

3.ª Máxima Dinâmica, 69 pontos

4.ª Fortes e Sousa II, 67 pontos

Audi, Patrocinador Oficial

As quatro primeiras equipas da classificação gross foram as seguintes, tendo em conta que não era possível acumular prémios e prevalecia o net:

1.ª H.M. Borges, 58 pontos

2.ª Unilateral, 57 pontos

3.ª Torre Sé Imobiliária I, 55 pontos

4.ª BG Tech I, 48 pontos

Equipa vencedora 1º Gross – H.M.BORGES com António Henriques, Presidente do C.G.Santo da Serra

Uma vez que referimos a BEE ENGINEERING, note-se que foi bastante apreciada a tômbola digital desenvolvida por esta empresa.

Outros patrocinadores que estiveram envolvidos nas chamadas ativações de marca foram a Nicola no ‘check in’ dos jogadores, e um ‘Quick Breakfast by Bonne Maman’.

Quick Breakfast by Bonne Maman

De referir que a equipa WCGC Portugal viajou para a Madeira através do seu parceiro Paradise Escape, com um serviço de concierge de excelência, com programas personalizados para cada cliente.

Jorge Gabriel (Equipa Paradise Escape), Ana Bento e Gilda Sousa (Equipa Paradise Escape)

Já no campo, estiveram em destaque as presenças da Super Bock, Nicola e Banana da Madeira.

Na ‘clubhouse’ eram bem visíveis o Corner ‘WCGC MEDIA’, com publicações dos parceiros dos media, como a Executive Digest, a Marketeer, o Diário de Notícias da Madeira e o Golfe Magazine.

WCGC Media Corner

Enquanto isso, podia-se degustar o ‘Cocktail Paradise Escape sponsored by Terras do Demo’, os Canapés Belmar – as conservas de Setúbal e os Vinhos da Adega de Redondo – Porta da Ravessa.

A próxima etapa qualificativa do 23.º WCGC Portugal será realizada a 21 de maio, no Quinta do Peru Golf & Country Club, no concelho de Sesimbra.

Hugo Ribeiro / PRESS OFFICER GOLF CONCEPT

Fotos Gregório Cunha

Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico – convertido pelo Lince.        

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp
Email